Cotação
Dólar 3,2654
Euro 3,6478
26/05 16:05
Cuiabá
Carregando...

? ºC

/

Cuiabá (MT), 27 de maio de 2017 - 12:16

JUDICIÁRIO GERAL

13/10/2016 13:39

Cai o número de homicídios no Distrito Federal em 2016

Desde a implementação do Viva Brasília – Nosso Pacto Pela Vida, a quantidade de homicídios cai no Distrito Federal. Nos nove primeiros meses de 2016, foram 437 registros desse tipo de crime, seis a menos que no mesmo período de 2015 (443) – em 2014, antes do programa, foram 524. A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social apresentou o comparativo mensal nesta terça-feira (11), no prédio da Subchefia Integrada de Operações em Segurança Pública.

Apesar da queda durante todo o ano, a quantidade de homicídios no trimestre julho, agosto e setembro subiu em relação ao ano passado: 133 a 125. Também subiu o número de crimes contra o patrimônio — de 9.991 casos para 15.656. Em 2015, porém, a Polícia Civil passou 20 dias sem registrar as ocorrências durante o mês de setembro, época de paralisação da categoria.

Os crimes contra o patrimônio apresentam alta nos últimos anos. Entre os roubos, os mais comuns no Distrito Federal são a pedestres (75,4%), em especial de celulares; seguido de veículos (10,6%); em comércios (5,5%); em coletivos (5,1%); e em residências (1,7%). Já quanto aos furtos, o destaque são os em veículos (37,1%). Os latrocínios também subiram no trimestre, de 7 em 2015 para 14 em 2016.

A secretária da Segurança Pública e da Paz Social, Márcia de Alencar, destaca a crise econômica como motivo para aumentar a ocorrência desses tipos de delito. “Os crimes contra o patrimônio praticamente dobraram de 2013 para 2014, fruto da situação pela qual o Brasil passa. Brasília acompanha o restante do País, mas somos a única unidade da Federação que publica os dados e tem metas”.

Locais com sensação de insegurança e com alta taxa de crimes contra o patrimônio
Durante a apresentação, a secretária afirmou que o roubo a pedestre é o que mais provoca sensação de insegurança, pois o agressor chega perto da vítima e a coage. A pasta traçou os dias, horários e locais em que mais ocorrem os atos para concentrar esforços de policiamento. Ceilândia é a região administrativa líder em ocorrências de crimes contra o patrimônio, seguida de Samambaia. Os roubos e furtos tendem a ser cometidos de segunda a sexta-feira, no período da tarde, em que mais pessoas estão nas ruas.

Um destaque quanto à diferença de locais com sensação de insegurança e com altas taxas foi feito: no Plano Piloto, o campeão de ocorrências é o Setor Comercial Sul, mas é na 912 Norte o local em que as pessoas se sentem menos seguras. “Uma série de fatores explica isso. A confiança no vizinho, a iluminação e a distância de arruaças, por exemplo, contam. Isso mostra a importância de um trabalho integrado para além dos órgãos de segurança, pois uma poda e uma escola bem cuidada já fazem diferença”, avaliou Márcia.

Apresentações das forças de segurança
Na apresentação do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF), o diretor-geral da autarquia, Jayme Amorim, destacou o baixo número de veículos licenciados no Distrito Federal. Apenas 1.000.788 dos 1.658.109 da frota estão com todas as dívidas quitadas.

O comandante-geral do Corpo de Bombeiros, coronel Hamilton Santos Esteves, citou o alto número de incêndios florestais (4.863), mas ressaltou a eficiência na manutenção de vidas. Uma média de 90% das vítimas de acidente de trânsito, 96% das de ataque com arma branca e 70% daquelas alvejadas com armas de fogo foram salvas nos atendimentos da corporação.

Quanto às polícias, o diretor-geral da Polícia Civil, Eric Seba, lamentou a paralisação da categoria e citou a dificuldade de manter o trabalho em alta qualidade com baixo efetivo. Já o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Marcos Antônio Nunes, contabilizou 190 mil ocorrências via Central Integrada de Atendimento e Despacho (Ciade), a detenção de 26,9 mil pessoas e a recuperação de 3,7 mil veículos furtados ou roubados.

Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Paz Social do DF.


Copyright Rede Brasil Policial. Todos os direitos reservados.

O Brasil Policial, se trata de um Projeto de Comunicação produzido pela “Rede SBCW e SBC Brasília, Projeto panteado junto ao INPI e Cartório de Registros e Documentos para jornalistas e empresários. É expressamente proibida a sua reprodução do Conteúdo e Plagiar o Projeto desta Rede de Notícias Online no Território Nacional, sujeito às penalidades previstas pelo CPB por roubo violação de Propriedade Intelectual.

“O site Brasil Policial Noticias e o Jornal Brasil Integraçao Policial, são produtos de comunicação cooperativistas, independentes, de acordo com o artigo V Inciso XVIII da Carta Magna e de acordo com o Artigo V da Lei Federal 5.764 de 16 Dezembro de 1971. Produzidos pela empresa: JULIANO LOBATO EVANGELISTA E ESCR.CRIAC.GRAF. S/C – M.E., inscrista sob o CNPJ: 01.145.029/0001-24, sito à Avenida Dr. Lima Avelino, nº 439 – Jardim Primavera, CEP: 78.030-435, Telefone (65) 3041-4675, Cuiabá – Mato Grosso – Brasil, com representação em todos os estados Brasileiros.”

MISSAO:
Somos uma equipe de Jornalistas e profissionais afins, de natureza civil, especializados em defesa da segurança publica, justiça e cidadania, com a finalidade de promover a cultura de paz, respeito aos princípios da democracia Brasileira, de valorização do profissional e fortalecer a família, sempre dentro dos princípios Cristãos, apoiar todos os comandos gerais do Brasil, combater o vício, a violência e ministrar a palavra de Deus aos Militares, seus familiares e a toda a imprensa Brasileira, segundo a Bíblia Sagrada.

 Rodrigo Souza Silveira
Diretor Geral
(66) 9624-9668/VIVO

Diretor
 

 Narciso Honório da Silveira

Jornalista Fundador cooperado e Editor Resp  

DRTMT-1616

Todos os conteúdos que se encontram veiculados e veinculando nesta franqueada "Brasil - Policial", são de inteira e legítima responsabilidades dos seus proprietários identificado (s) no referido Expediente da mesma.
Os seus conteúdos são restrito dos seus autores e idealizadores responsáveis por esta franquia, vale salientar a quem se interessar possa que, por se tratar de uma franquia afiliada da empresa geradora e franqueadora, suas publicações não expressam e nem representam a opinião desta Empresa matriz geradora. A Rede "SBC Brasil" Nacional, trata-se de um Projeto independente de suas agências franqueadas, por conta disso, não temos nenhuma responsabilidade técnica jornalística ou legal na forma das leis gigentes, por nenhum dos seus conteúdos nesta veiculados e veiculandos e de nenhuma outra franqueada e afiliadas no Brasil e nem no exterior. Cada uma é responsável pela sua Concessão, seus Atos e Fatos gerenciais e administrativo. 
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo